Depressão Infantil


Depressão Infantil (2)

   Qualquer pessoa vive momentos de tristeza em sua vida, inclusive as crianças, exatamente como os adultos, as crianças também tem dias felizes e dias tristes. Depressão infantil não é sobre a tristeza momentânea de uma criança, mas sim da tristeza que se mantém por algum tempo, caracterizando o comportamento de uma criança.

   Ao contrário da crença popular, os transtornos mentais e comportamentais são comuns na infância. Transtornos depressivos é um transtorno afetivo, caracterizado fundamentalmente pelo humor deprimido ou pela perda de prazer, persistentes por semanas. Inclui também pensamentos depressivos como pessimismo com relação ao futuro ou ideações suicidas, e sintomas biológicos como acordar muito cedo, ter apetite reduzido e perda de peso. Em crianças, a irritabilidade pode substituir o humor deprimido, e outros sintomas também são relevantes como as queixas somáticas e o retraimento social.

   A tristeza é um sentimentos experimentado internamente pela criança, os adultos e até mesmo os amigos da criança podem não se dar conta do que ela está sentindo. Não é raro que o adulto relate o fato de que a criança parece menos Interessada em atividades que costumavam interessá-la ou fazê-la feliz. Algumas vezes, contudo, a crianças mostra seus sentimentos, mas de uma maneira que parece causar muitos problemas para os outros: a criança muito triste e preocupada pode mostrar seus sentimentos não indo à escola ou não fazendo suas tarefas escolares, sendo muito irritável, temperamental ou ficando  aborrecida/braba com os outros com freqüência, fugindo de casa ou tentando se ferir. Contudo, essa criança não está somente fazendo com que os outros fiquem preocupados ou infelizes, mas também pode estar extremamente triste, solitária ou com medo.

   Ajudar a crianças a lembrar-se das coisas boas em suas vidas e retomar as atividades das coisas que gostavam de fazer pode ajudar. Contudo, para a criança que é permanentemente triste, preocupada, retraída e tem problemas em apreciar a vida como a maioria das crianças, não é possível “simplesmente sair dessa” e há a necessidade de assistência adicional.

   As terapias cognitivo-comportamentais (TCC) se destacam no tratamento da depressão infantil. Segundo esta teoria, a depressão não é desencadeada simplesmente pelas adversidades, mas pela percepção e processamento de eventos adversos. A TCC para a depressão infantil, seguem:

   -Foco do atendimento na criança, e participação dos pais;

   -Profissional tem papel ativo no tratamento, ele e a criança colaboram para resolver o problema;

   -Profissional ensina a criança a monitorar e manter registros de pensamento e comportamentos. Há uma grande ênfase em lições de casa;

 -Tratamento combina diversos procedimentos, que inclui técnicas comportamentais e estratégias cognitivas (reestruturação cognitiva).

   As intervenções da TCC podem ser eficazes meses ou mesmo anos após o aparecimento dos sintomas, promovendo assim a Saúde Mental que abrange o bem-estar subjetivo, a auto-eficácia percebida, a autonomia, a competência, a dependência intergeracional e a auto-realização do potencial intelectual e emocional da pessoa.

Tomara que tenhamos conseguido responder algumas perguntas, e feito você  pensar em novas perguntas.. caso tenha perguntas ou sugestões sobre o assunto pode nos enviar. contato@vendramepsicologia.com.br


sobre Katia Vendrame

Psicóloga Katia Vendrame - CRP 07/23029 (PUCRS). Especialista em Terapias Cognitivo-Comportamentais (FADERGS/Intcc). Treinamento Intensivo em Terapia Comportamental Dialética (Behavioral Tech e The Linehan Institute/EUA). Treinada pelo protocolo Terapia de Reciclagem Infantil. Pós graduada em Avaliação Psicológica (Famaqui/Núcleo Médico Psicológico). Contato: (51)999427182. Av. Ipiranga 40 – Trend Offices–Praia de Belas . Porto Alegre