Terapia Cognitivo-Comportamental na Infância


download (1)

Quando existe a necessidade de procurar ajuda especializada para meu filho(a) ?

  Muitas crianças e jovens têm problemas que às vezes não são aparentes para os pais, professores e outros adultos que conhecem ou tomam conta dessas crianças. Em alguns casos, esses adultos podem ter a sensação de que “alguma coisa está errada”, de que a criança parece emocionalmente afastada, triste ou muito amedrontada ao ter de ENFRENTAR novas situações ou tarefas com as quais a maioria das crianças lida muito facilmente, como ir à escola. Em outros casos, os adultos podem ter consciência de que a criança passou por um ESTRESSE muito grande, como a morte de um dos pais ou de alguém querido, ou teve uma experiência com um evento violento, como testemunhar eventos de guerra, ferimentos ou morte entre pessoas de sua vizinhança, conhecidos ou pessoas queridas. Assim, uma reação comum a um evento estressante ou traumático entre crianças e jovens é o desenvolvimento de sentimentos e emoções “INTERNOS”, como TRISTEZA, MEDO, ANSIEDADE, pensamento de morte ou o desejo de morrer, choro e/ou depressão.

  Como esses sentimentos são experimentados INTERNAMENTE pela criança, os adultos e até mesmo os amigos da criança podem não se dar conta do que ela está sentindo. Não é raro que tudo que o adulto preocupado consiga ver seja o fato de que a criança parece menos INTERESSADA em atividades que costumavam interessá-la ou fazê-la feliz. Algumas vezes, contudo, a crianças MOSTRA seus sentimentos, mas de uma maneira que parece causar muitos problemas para os outros: a criança muito triste e preocupada pode mostrar seus sentimentos não indo à escola ou não fazendo suas tarefas escolares, sendo muito irritável, temperamental ou ficando aborrecida/braba com os outros com FREQUÊNCIA, fugindo de casa, usando drogas e álcool ou tentando se ferir. Contudo, essa criança não está somente fazendo com que os outros fiquem preocupados ou infelizes, mas também pode estar extremamente triste, solitária ou com medo.

  Algumas crianças podem ter esses sentimentos de tristeza, preocupação, perda de interesse em atividades normais que a maioria das outras crianças gosta, até mesmo quando não parecem ter vivido eventos estressantes ou traumáticos. Às vezes parece que a criança “deveria” estar feliz e a razão pela ela está infeliz pode parecer completamente misteriosa, como se ela não tivesse direito a se sentir infeliz. É importante lembrar que esses sentimentos podem simplesmente acontecer e que algumas crianças podem ser mais propensas a tais sentimentos devido a razões que os adultos desconhecem: por exemplo, uma criança que sofreu abuso (fato desconhecido pelos adultos que tomam conta dela) tem um risco muito maior de ter esses tipos de sentimentos. Em outros casos, a criança pode ter herdado uma tendência a tais sentimentos. Mesmo que não exista algo que possa ter “causado” estes sentimentos, ainda assim os sentimentos de tristeza e preocupação podem ser muito graves e incontroláveis.

  Outras vezes, parece que a criança deveria simplesmente “sair dessa” e dizer a si mesma para “ser feliz”. Isso às vezes pode funcionar para a criança, já que as crianças, exatamente como os adultos, têm dias felizes e dias tristes. Assim, lembrar-se das coisas boas em suas vidas e das coisas que gostam de fazer pode ajudar. Contudo, para a criança que é permanentemente triste, preocupada, retraída e tem problemas em apreciar a vida como a maioria das crianças, não é possível “simplesmente sair dessa” e há a NECESSIDADE de assistência adicional. Assim, existe  profissionais de saúde para ajudar as crianças em sofrimento através de uma intervenção flexível que pode ser implementada para auxiliar, com o objetivo de adaptar a intervenção. Portanto, o profissional é indicado para avaliar e orientar para o tratamento mais adequado, é preciso considerar a idade, a duração e a gravidade do problema, e o funcionamento atual. Se o problema persistir por mais de 4 semanas, recomenda-se avaliação. No tratamento psicológico o qual trabalha as  EMOÇÕES dos pequenos; RECICLA  os seus Pensamentos e INOVA os seus Comportamentos protocolo chamado de Terapia da Reciclagem Infantil (TRI) . São intervenções bem estruturadas abreviam o tempo do processo terapêutico e promovem resiliência nessa importante etapa da vida, com enfoque integrado da família e treinamento de pais. Assim, a TCC se refere a uma variedade de técnicas que foram desenvolvidas para uso com pessoas jovens com transtornos emocionais. As intervenções da TCC podem ser eficazes meses ou mesmo anos após o aparecimento dos sintomas, ou muito tempo depois de um evento estressante. Assim, o objetivo da TCC é mudar alguns dos comportamentos e pensamentos e, dessa forma, reduzir os sintomas de depressão e ansiedade. A TCC é uma forma de intervenção estruturada e de curto prazo, que oferece a crianças e seus pais/cuidadores um método para compreenderem os problemas emocionais das crianças, assim como técnicas para manejar essas emoções, especificamente a ansiedade e a depressão. Em curto prazo, a intervenção bem-sucedida aliviará o sofrimento e minimizará o impacto de problemas secundários, como declínio do desempenho escolar.

   Tomara que tenhamos conseguido responder algumas perguntas, e feito você  pensar em novas perguntas..

caso tenha perguntas ou sugestões sobre o assunto pode nos enviar.

contato@vendramepsicologia.com.br


sobre Katia Vendrame

Psicóloga Katia Vendrame - CRP 07/23029 (PUCRS). Especialista em Psicoterapias Cognitivo-Comportamental (FADERGS). Treinamento Intensivo em Terapia Comportamental Dialética (Behavioral Tech e The Linehan Institute/EUA). Treinada pelo protocolo Terapia de Reciclagem Infantil. Pós graduanda em Avaliação Psicológica.